en-US

CRAA – CENTRO REGIONAL DE APOIO AO ARTESANATO DOS AÇORES

O QUE FAZEMOS

Formação

A formação em artesanato responde às necessidades do mercado, contribuindo, ao mesmo tempo, para qualificar uma nova geração de artesãos e dotá-la de conhecimentos técnicos e científicos aliados ao saber tradicional. A formação constitui uma aposta na revitalização dos ofícios tradicionais característicos de cada ilha e na recriação de produtos mais contemporâneos, através do projeto Hora do Ofício, dos workshops da Azores Craftlab — Incubadora de Artesanato dos Açores e das Residências Criativas.

Projetos

O CRAA desenvolve um plano anual de atividades diversificado que tem por base a prossecução dos seguintes objetivos: valorizar os produtos artesanais dos Açores, promover a comercialização e a promoção do artesanato de excelência que é feito na região e despertar as crianças e os jovens para as artes e ofícios artesanais, com o objetivo claro de assegurar a sua sustentabilidade. Neste sentido, promove e organiza diversos mercados no âmbito dos projetos Açores Artesanal e MUA — Mercado Urbano de Artesanato, o Prenda — Festival de Artesanato dos Açores e o Raízes — Projeto Pedagógico do Artesanato dos Açores.

Artesão

Artesão é o trabalhador que exerce uma atividade artesanal, por conta própria ou por conta de outrem, inserido em unidade produtiva artesanal reconhecida, ao qual se exige o domínio dos saberes e técnicas inerentes à atividade em causa e apurado sentido estético e perícia manual. O reconhecimento do estatuto de artesão é feito através da atribuição de um título designado por “carta de artesão”.

Marca

A marca coletiva “Artesanato dos Açores”, certificação de origem e qualidade  implementada em 1998, pretende contribuir para a valorização, divulgação e comercialização, sobretudo no mercado externo, dos produtos tradicionalmente manufaturados na Região. A projeção da marca assenta, também, na responsabilização dos artesãos, enquanto principais interessados na distinção do seu produto no mercado, com a obtenção de um selo de certificação.

Natureza e missão

O Centro Regional de Apoio ao Artesanato (CRAA), criado em 1988, é o órgão executivo ao qual incumbe a execução da política regional nas áreas do desenvolvimento, da valorização dos produtos tradicionais, designadamente no artesanato regional e empresas artesanais, da formação profissional e da coordenação de iniciativas multi-funcionais com desenvolvimento no meio local.

COMPETÊNCIAS DO CENTRO REGIONAL DE APOIO AO ARTESANATO

a) Assegurar a emissão das cartas de artesão e da empresa artesanal nos termos legais;

b) Especificar e definir as atividades e as profissões que devam ser consideradas como artesanais;

c) Instruir os processos com vista à concessão de todos os incentivos ao artesanato e respetiva fiscalização de dados pelo CRAA;

d) Proceder à recolha de dados estatísticos que possibilitem o conhecimento e melhor definição das políticas para o sector;

e) Desenvolver estudos e propor medidas tendentes ao fomento do artesanato regional junto dos agentes económicos interessados;

f) Desenvolver as ações necessárias à formação e informação dos artesãos;

g) Garantir a imagem e qualidade do produto artesanal através do sistema de certificação do Artesanato dos Açores;

h) Promover e fiscalizar as produções certificadas ao abrigo da marca coletiva Artesanato dos Açores e indicações geográficas;

i) Emitir parecer sobre projetos de âmbito regional na área do artesanato, com incidência nas atividades económicas;

j) Promover e dinamizar o artesanato regional, quer como elemento preservador de memória coletiva quer como atividade criadora com potencial económico;

k) Promover e organizar feiras, exposições e certames regionais, nacionais e internacionais e coordenar a participação e o intercâmbio da Região nas congéneres nacionais ou internacionais;

l) Estimular a criação de microempresas artesanais mais competitivas, na qualidade e diferenciação de alguns produtos fundamentados nos aspetos mais relevantes do património cultural e natural da Região, associando inovação e tradição;

m) Desenvolver relações de cooperação com outros organismos nacionais e internacionais, privilegiando o estabelecimento de acordos e protocolos que contribuam para a promoção cultural, social e económica da Região, no âmbito do artesanato;

n) Atribuir menções de mérito às unidades produtivas artesanais com carreira consolidada e historicamente relevantes, cujo trabalho contribuiu para a preservação e ampliação da identidade das artes e ofícios dos Açores;

o) Editar publicações e textos de interesse técnico e promocional como estratégia de valorização dos produtos artesanais.