Vegetable fibers

Hats

Produzidos segundo as técnicas da cestaria, apresenta-se como um artefacto cheio de simbolismo, evidenciando uma atividade própria, identificadora da sua origem, durante muito tempo confinada ao Pico e generalizada às demais ilhas em meados do século passado, quando começaram a ser exportados para a América.

Uma das atividades que caracterizou a freguesia de Santo Amaro da ilha do Pico foi a feitura de chapéus de palha de trigo, utilizando a técnica da espiral cosida. Faz parte das memórias de Santo Amaro ver as mulheres sentadas à porta a fazer trança. Elas próprias aprenderam com as suas mães e tias, enquanto crianças, desde a apanha da palha ou canudo, até finalizar o chapéu. Há cerca de uma centena de tranças diferentes para executar os chapéus de palha. Antes de se executar o chapéu, a palha tem que ser descanudada pelo nó, separada, escolhida, escovada e rachada. Os chapéus de abas redondas e curtas são encimados por uma copa ovalada e alta sendo feitos em palha profusamente cozida.


Pico

Maria Alzira de Melo Neves
RUA BARÃO MANUEL NUNES DE MELO, 5
SANTO AMARO
9940-184 S.ROQUE DO PICO
292655456 292655115
964555157

São Miguel

Paulo José Correia Melo
RUA SÃO JOÃO, 178
SALGA
9630-284 NORDESTE
296462415 296462008
961225226
afolhademilho@net.sapo.pt